Entrevistamos o maior nome do Motocross Brasileiro, Jorge Balbi Jr.! (2013)


Trocamos uma ideia com o maior nome do motocross Brasileiro, Antônio Jorge Balbi Jr. o mineiro de Belo Horizonte que se destacou no Brasil e no Mundo, hoje um dos grandes nomes do MX de todos os tempos no Brasil. Confiram essa entrevista exclusiva que o site Show Radical fez com esse grande atleta, perguntas inéditas e muito bem elaboradas sobre o momento do esporte no brasil e na carreira do piloto.

SR: Em primeiro lugar muito obrigado pela disposição em responder a nossa entrevista, é uma honra para o Show Radical ter esse artigo em nossa página, somos conterrâneos e muitas vezes nossa mídia é lembrada e reconhecida em todo país por sermos de um estado de seletos pilotos radicais em 2 rodas incluindo você, Balbi. Para você como é representar o nosso estado de Minas Gerais em todo país e em todo mundo?

Balbi: Eu que agradeço a oportunidade de poder responder perguntas bem elaboradas de quem entende do assunto. Bem tenho muito orgulho em poder levar o nome de Minas e principalmente do Brasil comigo por toda parte! Na verdade muitas vezes me considero um atleta realizado muito mais pelo carinho dos fãs e do público onde quer que eu esteja correndo, do que pelos títulos ou vitórias que já conquistei. Sentir o carinho do público através de palavras, torcida nas pistas, e-mails e pelas mídias sociais e muito especial.

SR: A algum tempo que estamos para fazer essa entrevista com você, mais acho que finalizamos em um momento especial já que você assumiu a liderança da principal categoria do motocross nacional que foi a MX1 do campeonato brasileiro e também fez uma corrida fora de série na Copa Minas Gerais na cidade de Betim. Li uma coluna sua onde disse que não se lembra de um campeonato tão disputado como estamos tendo em 2013 no Brasileiro e muitas equipes apostaram em estrangeiros para representá-las e você é hoje o Brasileiro mais bem preparado para assegurar o título para o nosso país, como é essa responsabilidade de ser o melhor piloto Brasileiro no campeonato nacional lotado de gringos e ainda ser a grande aposta dos fãs do motocross para garantir o título do campeonato?

Balbi: Sinceramente estou muito feliz pelo momento profissional que estou vivendo, sempre me dedico muito ao MX mais nem sempre todo o trabalho, não só meu mais de toda a equipe se transforma em resultados dentro da pista. Graças a Deus os resultados tem acontecido mesmo sabendo que temos uma longa caminhada adiante!

– A corrida de Betim na MX1 foi fantástica não me lembro de ter pilotado com tanta vontade e agressividade a muito tempo. Talvez senti um pouco do que os jogadores de futebol sentem quando jogam em casa. Quem me conhece sabe que sempre procuro correr com o coração e deixar o meu melhor dentro da pista porém nessa ocasião até eu mesmo me surpreendi por conseguir recuperar tanta diferença de pilotos que respeito muito e que estão entre os melhores do Brasil. Certamente esse foi um segundo lugar muito especial talvez o melhor de todos que já conquistei!  Quanto a responsabilidade não sinto esse peso por que eu me cobro muito muito mesmo, então isso faz com que qualquer outra cobrança não seja tão forte quanto a minha luta interna de querer sempre mais e mais! (risos)…  Tento usar todo esse apoio que como disse anteriormente sou muito grato por te-lo para me empurrar dentro e fora da pista!

SR: Acompanhamos sempre suas publicações na internet e em revistas especializadas e sabemos que você talvez seja um dos pilotos mais dedicados ao esporte, além de todo seu talento que é sua grande marca você se dedica completamente ao motocross, conte para os seus fãs e para os pilotos amadores e novatos a sua rotina e dia a dia para se manter competitivo nas principais corridas do mundo?

Balbi: A minha rotina é bastante intensa eu e minha família/equipe estamos sempre procurando melhorar então não tenho uma rotina fixa. Em uma semana normal de treinos geralmente ando de moto 4 vezes na semana além de intercalar o trabalho de academia, bike e natação entre os treinos.  Assisto vídeos meus e de outros pilotos diariamente e sempre estou procurando encontrar algo que possa me fazer evoluir.


Pódio da MX2 na 2ª etapa da Copa MG MX, com Jorge Balbi Jr. em 1º lugar!

SR: Acredito que para os fãs do motocross ouvir falar em Balbi é como ouvir falar em Neymar para os fãs do futebol, sabemos de sua origem e de toda luta que foi para você e para toda sua família chegarem nesse patamar de equipe, de vida e de fama esportiva, como fica o sentimento de conquistar o sucesso depois de tanta luta e superação?

Balbi: Primeiro muito obrigado pela comparação, apesar de não ser um mega fã do futebol sei o peso dessa comparação (risos). Nasci em uma família simples e nada foi fácil meus pais fizeram inúmeros sacrifícios pois o MX no Brasil ainda é um esporte muito caro. Porém com muita dificuldade fomos crescendo no esporte e graças a essas dificuldades e superações cada conquista alcançada tinha um sabor especial o que me motiva ainda mais a partir em busca de uma próxima é o que nos fez continuar evoluindo!

Sinceramente não me apego muito a fama ou sucesso mesmo porque não acho que um piloto de MX no Brasil consegue se tornar famoso (risos). Porém sempre sonhei muito e graças a Deus tive a oportunidade de realizar muitos sonhos isso aliado ao carinho que recebo dos fãs do MX me da uma satisfação e uma alegria muito grande! Porém não vou mentir eu continuo sonhando!

SR: Muitas vezes vimos você se destacar lá fora e chegando no Brasil ser superado por pilotos nacionais e sabemos que um dos grandes motivos disso, claro sem desmerecer ninguém, é o fator PISTA, pois quando recebemos etapas internacionais no Brasil e até mesmo no Nações você sempre é o melhor Brasileiro, pois além da experiência e da frieza para encarar os gringos, nas pistas internacionais você consegue aplicar melhor sua técnica e velocidade diferenciada. Com isso o que você acha necessário ser melhorado nas pistas nacionais para o uso de toda sua técnica e até mesmo para evolução dos demais pilotos e principalmente dos jovens pilotos?

Balbi:  Com certeza é preciso melhorar e muito o nível técnico das nossas pistas. Só assim o futuro do motocross nacional poderá ser competitivo se comparado ao resto do mundo. As pistas fáceis acabam limitando os pilotos e assim fica muito difícil de evoluir. As vezes chego a brincar que praticamos um esporte diferente (risos), falando sério, felizmente as pistas vem melhorando porém no Brasil acontece algo que não consigo entender. As etapas dos campeonatos de ano para ano mudam de cidades enquanto no resto do mundo as pistas são sempre as mesmas  evoluindo até se tornarem perfeitas. Nossos dirigentes e organizadores precisam pensar nisso e até mesmo procurar levar os campeonatos a pistas que tem condição e até mesmo tradição. Como Canelinha, Indaiatuba, Siqueira Campos, Carlos Barbosa, etc.

SR: Sabemos que no Brasil infelizmente a carreira no Motocross é muito “ingrata” pilotos e famílias levam anos para formar um campeão, é dedicação, tempo e muito dinheiro gastos para que um atleta chegue ao topo no nosso esporte e muitas vezes esse topo dura pouco, pois as gerações são substituídas rapidamente e também as quedas e lesões fazem muitos pararem ou desistirem antes da hora é preciso muito amor e vontade de ficar aqui para permanecer, você foi um dos poucos que se manteve por mais de uma década no topo e ao contrário permanece em evolução e crescimento no esporte, quando você acha que irá encerrar na principal categoria e quando isso acontecer como será sua vida? Irá morar definitivamente nos EUA? Quais são os planos?

Balbi:  Essa e uma questão difícil desde que cheguei próximo dos 30 anos eu falo comigo mesmo daqui mais 3 ou 4 anos eu acho que vou aposentar (risos) porém como você disse apesar do MX estar cada vez mais difícil mundialmente e também no Brasil sinto que continuo evoluindo e a melhor parte é que levanto de manhã muito feliz por que sei que vou passar horas e horas em cima da minha moto. Ainda tenho muita vontade e sou apaixonado pelo que eu faço então não sei te responder quando. Talvez quando sentir que não estou evoluindo mais ou me divertindo, talvez essa seja hora o tempo vai nos dizer. Quanto a morar nos EUA sou Brasileiro e apesar de gostar muito da América a minha maior motivação lá é o MX se estiver fora das pistas com certeza estarei aqui na minha casa no Brasil!


Balbi Jr. sempre atencioso com seus fãs, nessa foto com a mãe do nosso repórter Show Radical, Tiago Lopes.

SR: Para você qual campeonato é o maior, melhor e mais importante para o currículo de um piloto, as provas do AMA ou as provas do Mundial, já que você participou de ambos?

Balbi: Com certeza o AMA MX. Sem desmerecer o mundial porém o AMA realmente não tem igual!

SR: Uma pergunta que muitos me fazem e eu realmente não sei o que responder então vou jogar a “bomba” na suas mãos (risos), independente de James Stewart estar se destacando ou não, estou dizendo em questão de carreira/ currículo no esporte e também em questão de pilotagem/ técnica quem é o maior e melhor dos últimos tempos no motocross?… Cairolli ou Stewart na sua opinião?

Balbi: Essa é uma questão difícil e não acho que tenha como dizer quem é o melhor seria injusto. Com certeza o Cairolli é o melhor da Europa e o Bubba foi nos últimos anos o melhor na América. Para quem realmente quer saber a resposta talvez ela esteja na pergunta acima (risos). Qual o campeonato mais difícil? Até mesmo a superioridade dos EUA nas últimas décadas no MX das nações prova isso. O fato é que são pilotos incríveis que eu admiro muito!

 

SR: Se fosse para você passar um dica ou dar um toque para um piloto que está começando no MX e como todo bom garoto é apaixonado pelo esporte o que o Jorge Balbi Jr. diria para este piloto?

Balbi: Sonhar e amar o que faz! Essas são as palavras chaves tem que sonhar, tem que ter amor pelo que faz porém é preciso se empenhar para realizar os sonhos!

SR: E se essa mesma dica fosse para um organizador de corridas regionais o que você diria?

Balbi: Sinceramente na maior parte sinto que falta amor e empenho por falta dos organizadores. Sinto que tem muita gente envolvida que tem objetivos diferentes de nós amantes do MX. A prova disso está na resposta abaixo.

SR: O que tem a dizer sobre a Copa Minas Gerais de Motocross?

Balbi: Sinceramente um sucesso! Claro como está no primeiro ano, tem muita coisa para melhorar porém ali não falta nem amor nem empenho. Quando converso com o “Cassinho” (organizador), percebo estarmos falando a mesma língua. Ele também como eu é apaixonado pelo MX! Está valorizando os pilotos e o público algo que infelizmente não tem acontecido no brasileiro.

SR: Para finalizar deixamos esse espaço em aberto para você dizer algo que tenha vontade de pronunciar em nossa mídia e também agradecer e citar os nomes de todos seus patrocinadores/ apoiadores.

Balbi: Muito obrigado a Protork, Mobil, Kawasaki, Pirreli e Allsign. Minha equipe é incrível e está sempre me apoiando e me dando condições de buscar o melhor dentro e fora das pistas! Agradeço a minha família que tenho a felicidade de ter trabalhando ao meu lado incansavelmente, a vocês do site Show Radical. Encerro louvando a Deus que tornou meu sonho de viver de mx realidade!

Texto: Tiago Lopes / Fotos: Tiago Lopes – Divulgação