Entrevista com Patrick Gaspareto #5 o YouTuber Off Road

Pela primeira vez abrimos espaço aqui no site Show Radical para um novo seguimento que cresceu muito na internet nos últimos anos, os YouTuber’s, e conhecemos de perto o trabalho do jovem Paranaense, Patrick Gaspareto #5 que vem se destacando como You Tuber Off-Road e então decidimos trocar uma ideia com ele para saber mais sobre esse trabalho que junta, conteúdos Off-Road e a paixão pelo esporte para divulgar cada vez mais as 2 rodas na internet!

SR: Olá Gaspareto, muito obrigado pela oportunidade de fazer essa entrevista com você aqui no Show Radical, como foi sua primeira experiência com a moto e com o esporte?

PG5: Minha primeira experiência com moto foi aos 7 anos de idade quando meu tio me levou para um arrancadão de motos, lá tinha várias crianças andando com mini motos e eu coloquei na minha cabeça que eu queria muito aquele negócio que andava sem precisar pedalar, mas minha família não tinha condições de me colocar no esporte por razões financeiras, então passei minha infância toda sem moto, sempre ia de bicicleta em uma pista de motocross que tinha perto de casa e ficava o dia todo vendo a galera andar, perdi as contas de quantas vezes eu andava de bicicleta na pista imaginando que era uma moto, até colocava uma latinha no pneu pra imitar o barulho. Até que chegou a hora de conquistar minha primeira moto, aos 15 anos meu pai me deu uma CG 125 ovinho 1992, azul! Não era uma moto off-road, mas pra mim era o suficiente pra saciar a minha vontade de ter uma moto, andava todos os dia com ela no sitio do meu avô, pulando curva de nível no pasto, rampando morro de carreador, até que chegou uma hora que meu pai vendeu a moto, ela dava muito problema! Ao final dos meus 16 anos eu consegui conquistar a minha primeira moto off-road, uma Nx 200! E é ai que minha carreira se iniciava, sem eu nem saber.

NX 200 a primeira moto off road de Patrick Gaspareto!

SR: Quando foi que surgiu a ideia de começar a gravar vídeos com assuntos Off-Road, a bordo de uma motocicleta e que moto foi a protagonista do primeiro vídeo?

PG5: Quando conquistei a minha primeira moto (Nx 200) eu iniciei nas trilhas (17 anos), depois de uns 6 meses eu comprei uma Gopro porque vi um amigo meu gravando o role dele de moto e eu tinha achado irado, então comecei a gravar meus roles também e postava no Youtube para meus amigos verem, na época eu não tinha pretensão nenhuma, mas sem perceber eu estava começando a produzir um conteúdo que praticamente não existia no Youtube, era muito difícil encontrar algo sobre o nosso esporte, como dicas e informações sobre o mesmo, era muito escasso tudo isso. Então vendo esse cenário eu comecei a fazer vídeos que eu gostaria de assistir quando queria aprender algo, queria fazer as pessoas ter acesso ao nosso esporte, meu objetivo era expandir o cenário off-roadpra ele ganhar o valor que merece. Nessa época eu iniciava a minha jornada no Youtube.

SR: Você tinha metas como You Tuber Off-Road de alcançar tantos mil seguidores e etc, ou tudo aconteceu sem que você esperasse?

PG5: No inicio eu não tinha meta, tudo foi acontecendo de uma forma muito natural, eu iniciei no YouTube em 2013, por 3 anos eu levei meu canal como Hobby, não tinha uma frequência de conteúdo, uma porque não tinha verba e outra porque não era minha atividade principal, eu trabalhava em uma revista da minha cidade, então tinha que conciliar tudo e meu canal não passava de um Hobby. Até que em 2016 meu canal estava atingindo uma proporção que eu não imaginava, eu era um dos Youtubers mais acessados do segmento off-road no país, meu público já me cobrava uma frequência de vídeo que eu não suportava mais, ficou muito pesado, foi uma fase muito difícil, pois estava chegando a hora da decisão, ou eu apostava tudo no Youtube e seguia meu sonho de viver de moto ou continuava vivendo de empregado na empresa que eu trabalhava. Fiquei 1 ano nessa angustia, com medo de seguir o caminho errado, de estar cego por um sonho de infância que eu tinha, até que no meio de 2017 eu decidi pular de cabeça naquilo que eu sonhava pra passar a vida fazendo aquilo que eu mais amava, andar de moto! A partir desse momento as metas começaram a aparecer, comecei a planejar e estudar todos os meu passos, passava madrugadas trabalhando, lia o máximo de livros que eu podia, tive que me abdicar de muitos momentos, amigos, família, festas,  estava decidido a se tornar o melhor naquilo que eu fazia, era o preço a se pagar. Após tomar essa postura, minha vida mudou da água para o vinho. Comecei a viver de moto, foi ai que eu entrei na pior crise da minha vida, não conseguia patrocínio porque as empresas não entendiam meu trabalho, os gastos que eu passei a ter com o esporte eram altíssimos, chegou um ponto que tive que encostar minha moto por 6 meses pois eu não tinha dinheiro nem pra abastecer. Passei 1 ano vivendo assim, foram os piores 12 meses da minha vida, mas, também foi os melhores 12 meses da minha vida, por que? É na dor, na crise e na pressão que a gente mais evolui, foi nessa fase que me tornei o profissional que sou hoje.


SR: Como e quando surgiu seu contato com as primeiras marcas afim de apoiarem o seu trabalho na internet e como você se sentiu com isso?

PG5: Em 2015 eu conseguia fazer parcerias com lojas online especializadas no segmento off-road, mas não era nada que me gerasse renda, as empresas não queriam investir dinheiro, somente apoiavam com produtos, vendo isso eu decidi mudar a minha forma de captar renda com meu trabalho, já que não conseguia ganhar dinheiro com as monetizações dos vídeos no Youtubeem 2017 comecei a fabricar camisetas casuais pra vender, eu não tinha grana nenhuma, um amigo me emprestou 400 reais pra conseguir fazer o investimento do primeiro lote, fiz os anúncios no mercado livre e fiquei vendendo camisetas por uns 9 meses, mas o faturamento que eu tinha não pagava nem meus custos, mais uma vez eu tinha que pensar em uma outra forma de dar certo, parei de vender as camisetas e fiz um planejamento novo, tracei novas estratégias, mudei a forma de trabalhar, analisei qual era meus acertos e quais erros eu não podia mais cometer, e foi ai que se finalizava 2017, estaca zero novamente, e lá vamos nós, eu tinha uma nova forma de pensar, precisava firmar parceria com grandes marcas para suportar meu trabalho, e como eu iria conseguir isso? Iniciei minhas viagens de ônibus pelo Brasil, eu tinha 21 anos, era meu próprio empresário, meu próprio treinador, o cara que pilotava, filmava e editada, eu fazia tudo sozinho, eu respirava meu trabalho, a minha agenda de contatos foi crescendo, comecei a fazer reuniões presenciais com várias empresas, mas era difícil alguma que tinha a visão de enxergar o resultado que eu iria trazer a ela, talvez por achar que eu sou muito novo, que o mundo digital é novo, que é uma nova forma de trabalhar, enfim, eles não acreditavam em mim, mas nessa fase eu já sabia que o erro não era meu, não era meu trabalho que era ruim, eu só estava tentando vender para pessoas que não queriam aceitar a nova forma de comunicação que estava surgindo. Iniciava 2018, eu já estava desenvolvendo conteúdo com marca multinacional, como a Yamaha Brasil, meu nome foi crescendo e meu trabalho finalmente estava sendo reconhecido, encontrei empresas com visão de futuro, que queriam o novo que estava surgindo, como o Grupo Orange, Coser, BMS Racing, Braapgo e Airoh Brasil. Foi ai que tudo finalmente começou a dar certo, estou vivendo de moto, e a história daqui pra frente vocês ainda irão ficar sabendo.

SR: Dentro dos esportes Off-Road em Duas Rodas no Brasil, qual você mais curte praticar e qual o melhor em resultados para conteúdos da web?

PG5: Nosso esporte se divide em muitos estilos, como motocross, enduro, freestyle e trilha de moto, então eu tento criar conteúdo em todos eles, o que mais curto é trilha de moto, é também o que dá mais audiência. Eu acredito que é uma das principais portas de entrada para o nosso esporte, qualquer um pode iniciar nas trilhas, é um mercado que vem tomando força a cada ano que passa, há muitos eventos no Brasil que já ultrapassam a marca de 2.500 pilotos inscritos, é muita moto em um evento! Meu objetivo é tornar esse trabalho visível, expandir nossa cena, fazer as pessoas terem acesso ao nosso esporte, assim mais gente vai querer fazer parte dele.


SR: Sabemos que assim como nosso site hoje, você também viaja muito em todo país para participar de eventos, como você acha que está a situação dos esportes Off-Road num geral no Brasil hoje?

PG5: O que movimenta nosso esporte hoje são pequenos grupos de pessoas, espalhadas por todo Brasil, esses grupos são os responsáveis por movimentarem o mercado, eles criam eventos anuais sem fins lucrativos, são eles que “fazem acontecer”, mas muitas vezes esses grupos precisam mais que “boa vontade” para fazerem os eventos acontecerem, muitos não conseguem o apoio necessário das empresas do segmento, então ficam muito limitados, mas porque esses grupos não conseguem a atenção das empresas? Por que eles não são vistos! E o que as empresas querem é serem vistas, é ai que entramos na jogada, quanto mais visibilidade a gente conseguir dar para o esporte, mais ele expande. Hoje, muitas pessoas além de mim dedicam a vida para fazer isso acontecer, o resultado disso vem sendo positivo, acredito na força que o motociclismo off-road tem, muitos eventos chegam a mobilizar uma cidade inteira, isso aquece muito a econômica do comércio local, a partir daí podemos ver que um evento off-road abrange muito mais do que simplesmente acelerar motos, isso faz com que alguns grupos consigam ajuda da Prefeitura para realizar os eventos, mas também  precisamos do apoio das empresas para a roda girarA cada ano que passa, esses eventos batem recordes de participantes, a organização fica mais moderna e tudo vai ganhando mais força, acho que estamos indo no caminho certo.


SR: Nesse ano de 2018 também assim como nós (risos) notamos que você teve uma grande evolução profissional, se aliando a empresas sérias e comprometidas com o esporte no país, como por exemplo o Grupo Orange, Coser, Bms Racing, entre outros, o que tudo isso significa pra você e como funciona sua parceria com essas grandes marcas?

PG5: Essas empresas me dão o suporte que preciso para manter meu conteúdo vivo, me ajudam com os custos que meu trabalho temsem elas nada seria possível, de maneira simples, elas compram o conteúdo que eu crio, para que o público tenha acesso a um conteúdo gratuito. É um trabalho feito em conjunto, se um cresce, todos crescem e com isso todos ganham. Como já comentei, no início foi muito difícil conseguir apoio, o trabalho na internet ainda é visto como “novo” e isso dificultou muito, mas aos poucos consegui ocupar meu lugar e tudo ficou mais fácil, o segredo é, sempre faça o melhor na condição que você tem, isso traz grandes resultados.

SR: Admiramos muito seu trabalho e assim como disse nos identificamos também com você, pois vivemos algo muito parecido porém com outro tipo de ferramenta na internet, onde juntos nos completamos e é uma honra já ter você como nosso parceiro e aliado na rede, quem são suas referências do esporte digitalmente falando hoje, já que estamos vivendo o ápice da internet no mundo?

PG5: Busco muita referência fora do Brasil, pois em termos de tecnologia e influência, eles estão muito à frente da gente, mas é só questão de tempo para revertermos isso, a internet nos dá oportunidade de estar presente na cena também. Me espelho muito em pilotos como Axell HodgesGranhan JarvisTwitchColton Haaker, entre outros, me inspiro muito na qualidade dos conteúdos que são criados com eles.   


SR: Até onde você pretende ir com o seu trabalho e quais são seus planos daqui pra frente, o que os fãs do YouTuber Off-Road, Gaspareto5 podem esperar no seu canal daqui pra frente?

PG5: Pretendo um dia chegar ao nível de produzir conteúdo com qualidade de cinema e alcance internacional, é uma meta de longo prazo e estou trabalhando muito para isso acontecer, pretendo tornar o Brasil visível na cena do mundo off-road, temos muitos pilotos talentosos aqui, há muitos apaixonados pelo esporte como eu, acredito no potencial que a gente tem. Hoje em dia a internet nos dá a chance de tornar esse sonho real e devemos aproveitar isso, o Brasil não é só futebol e se depender de mim nunca vai ser.

SR: Deixamos esse espaço em aberto para você se pronunciar aos seus fãs e também agradecer a quem te apoia e mantém seu trabalho vivo, e desde já agradecemos a atenção e a oportunidade de falar com você!

PG5: Eu queria dizer para você que tem um sonho reprimido, que acha que não é capaz de ser aquela pessoa que você imagina ser antes de dormir, que tem medo de arriscar, que paga um valor alto todos os dias para não viver a vida que sonha, você realmente quer viver assim? Eu vivi assim por muito tempo, até meus 21 anos pra ser exato, a desculpa era: É tarde demais, não tenho condições, ninguém me apoia, e se der errado, e se… e se..., deixa eu te dizer uma coisa! Quando você for atrás dos seus sonhos a vida vai te desafiar, você vai precisar provar a ela que merece viver o que quer, vai dar tudo errado, pode ter certeza! Eles não vão acreditar em você, vão falar não, vão te deixar com medo, vão te reprimir, a vida vai te bater e vai te jogar em um poço bem fundo chamado Crise. A partir desse momento você começa a ser lapidado, você fica mais forte, mais inteligente, sua visão muda e você começa a entender como tudo funciona. Quando você pagar o preço dos seus sonhos, a vida te entrega ele. Então eu te pergunto, o quanto você está disposto a pagar? Você pode ser quem você quiser!

Para finalizar deixamos um vídeo bem massa produzido pelo canal Gaspareto5 no YouTube:

 

Continue arrastando para cima ☝☝☝ para conferir todos os patrocinadores do site Show Radical 👇⚡!

– Clicando no anuncio das empresas você é direcionado ao site da marca!