Em prova de superação, Ricardo Martins comemora o pódio no Sertões 2019

Ricardo Martins - Foto: Doni Castilho

Depois de 4.887 km, largando de Campo Grande (MS) e chegando em Aquiraz (CE), em oito dias de disputa e 2.858 km de especiais cronometradas, acabou neste domingo (1º/set) a 27ª edição do Sertões. Para Ricardo Martins, uma prova com dificuldades, superação e a conquista do terceiro lugar na classificação geral e segundo lugar na categoria Super Production.

O piloto da Yamaha Geração Rally Team iniciou a prova na liderança, vencendo o primeiro dia de competição. Na segunda etapa sofreu uma forte queda em uma erosão, que além de destruir a torre de navegação da motocicleta, resultou em uma fratura na clavícula. Ainda enfrentou problemas no mousse da roda na terceira etapa da prova e perdeu muitas posições: finalizou o dia em 27º e caiu para o 10º lugar na classificação acumulada.

A partir da 4ª etapa iniciou, na metade do rally, uma prova de recuperação. E na etapa maratona, onde os pilotos não podem receber auxílio externo, o catarinense acelerou forte sua WR 450F e se destacou. Iniciou a etapa maratona (5ª etapa) na 9ª colocação e saiu dela (6ª etapa) em 4º lugar na classificação, mesmo com a lesão.

Na 7ª etapa, última desta edição com uma especial longa, subiu mais uma posição e finalizou o dia em 3º na classificação. Neste domingo, na 8ª etapa, completou os 18 km de especial acelerando forte e finalizando o dia na segunda colocação, perdendo a vitória da etapa por apenas 4 décimos de segundo.

Mesmo com tantos problemas e após escalar a tabela de classificação a cada dia, o terceiro lugar na classificação geral e o segundo lugar na categoria Super Production tem sabor de vitória, já que essa foi uma das mais difíceis edições do Sertões. A meta agora é trabalhar ainda mais forte para buscar a vitória em 2020.

Ricardo Martins #2
Categoria Super Production
Moto WR450F

Foram mais de 4800 km, teve todo tipo de terreno, teve a areia do Jalapão, teve trecho com muitas retas, pedras, canions… O rally começou bem pra gente, porém no segundo dia, de uma hora pra outra eu me vi no chão. Tomei uma queda muito forte em uma erosão traiçoeira, nem vi como cai. Acabou quebrando bem a moto. A moto demorou muito pra ligar, demorei pra achar o defeito na parte elétrica. Dali pra frente começou uma corrida de recuperação e, no terceiro dia, talvez por atacar demais, tive problemas com o mousse da roda. Tive que andar uma grande distância só no aro da roda e perdi muito tempo também. Do quarto dia pra frente as coisas começaram a dar certo. Mas o rally é isso, nem sempre são só maravilhas, temos que ser fortes pra poder enfrentar os dias ruins, e assim como no rally também é na vida. Temos coisas pra acertar, mas acho que são apenas pequenos detalhes, a vitória tá passando muito perto da gente. Não podemos nos acomodar e achar que está tudo bem, vamos treinar mais, dedicar mais, pra chegar em 2020 mais preparados do que estamos. Estamos no caminho certo, não fizemos nada de errado, vamos erguer a cabeça, usar como aprendizado e voltar ainda mais fortes.

Resultado do dia 
8ª etapa: Crateús/CE a Aquiraz/CE

Geral
1º) Jean Azevedo – 11m47.1
2º) Ricardo Martins – 11m47.4
3º) Gregório Caselani – 12m02.5
4º) Ramon Sacilotti – 12m07.2
5º) Giovanni de Castro – 12m28.6

Categoria Super Production 
1º) Jean Azevedo – 11m47.1
2º) Ricardo Martins – 11m47.4
3º) Gregório Caselani – 12m02.5
4º) Ramon Sacilotti – 12m07.2
5º) Tiago Fantozzi – 13m25.5

Classificação Geral

Geral
1º) Tunico Maciel – 34h03:18
2º) Jean Azevedo – 34h27:35
3º) Ricardo Martins – 36h11:09
4º) Bruno Leles – 36h31:14 –
5º) Vitor Closs – 37h03:25

Categoria Super Production 
1º) Jean Azevedo – 34h27:35
2º) Ricardo Martins – 36h11:09 
3º) Bruno Leles – 36h31:14 
4º) Ramon Sacilotti – 37h20:26
5º) Alex Buchem – 41h55:58

Continue arrastando para cima ☝☝☝ para conferir todos os patrocinadores do site Show Radical 👇⚡!

– Clicando no anuncio das empresas você é direcionado ao site da marca!