Com poeira, terreno esburacado e dificuldades, brasileiros finalizam segundo dia do Six Days

O segundo dia de competição foi de muita poeira, frio e percurso com muitos buracos. Os brasileiros completaram o segundo dia do Internacional Six Days Enduro e estão prontos pra largar pro terceiro dia. Foto: Divulgação

Os participantes do 94º Internacional Six Days Enduro aceleraram neste segundo dia de competição no mesmo percurso do primeiro dia. Nesta terça-feira (12/11) os pilotos deram mais duas voltas de 140 km para completar mais sete especiais cronometradas, completando 280 km no dia e 560 km desta edição. Os pilotos da seleção Brasileira mais uma vez cumpriram o objetivo de completar a prova e continuar na disputa.

Com condições cada vez mais difíceis, o percurso fica ainda mais desgastante para os pilotos, com muitos buracos, sulcos e trechos com muita areia solta, e o que já era difícil se torna ainda pior. Para o gaúcho Gustavo Pellin, a dificuldade de adaptação ao terreno bastante danificado tem sido o maior problema. “Conseguimos finalizar o dia bem, apesar de um dia bem pesado, com a suspensão batendo o dia inteiro, nos deslocamentos e nas especiais. Ainda estou tendo dificuldades de me encaixar na moto, não sei se por causa da suspensão ou das especiais que estão bastante danificadas e não estamos acostumados a andar, mas estou apanhando bastante nas especiais. Mas o importante é que terminei o dia bem, sem nenhuma queda, e a moto está inteira. Vamos nos preocupar em terminar os dias bem e levar a moto até o final. Vamos ver o que vai dar nos próximos dias aí”.

Gustavo Pellin é o melhor classificado da seleção principal.
Foto: Divulgação

Além de enfrentar grandes distâncias e um percurso complicado, uma das dificuldades dos pilotos é com a manutenção das motocicletas. Conforme as regras, apenas o piloto pode dar manutenção na moto e, ainda por cima, em poucos minutos. Isso inclui regulagens, reparos e troca de pneus, diárias. E foi justamente no final deste segundo dia, na troca de pneus, que o paulista Maurício Fernandes acabou prejudicado. A pastilha de freio se desencaixou e o piloto acabou perdendo tempo para concluir a manutenção e guardar a moto no parque fechado. Com isso acabou prejudicado com uma penalização de tempo. “O dia foi bom, mas muito cansativo, muito buraco, batendo muito, forçando bastante os braços, mas deu pra fazer tudo no tempo, foi bem legal. Já depois de encerrar a prova me enrosquei na hora de trocar o pneu, na hora de colocar a roda na moto, desencaixou a pastilha, aí acabei me atrasando pra colocar a moto no parque fechado e sofri uma penalização de dois minutos. Mas faz parte, vamos pra amanhã”, explicou.

O mineiro Vitor Garcia também teve problemas na manutenção e acabou sofrendo uma penalização. Mas segue firme e inteiro na prova, completando o percurso neste segundo dia de prova e está pronto pra encarar o terceiro dia de competição.

Jesus Fernandes, o Sucito, também teve dificuldades com o percurso esburacado e ainda citou a poeira – hoje não choveu – como um fator que desgastou ainda mais. “A prova hoje foi bem difícil pelo estado da pista, com as especiais muito esburacadas. O deslocamento também estava com muito pó e atrapalhou bastante. Ontem a dificuldade foi pela chuva, mas como as especiais ainda eram novas não atrapalhou tanto como hoje, na segunda volta já foi bem complicado, os tempos ficaram apertados. Mas não é nada impossível, apesar de uma prova dura e com deslocamento apertado”, disse.

Neste terceiro dia, os competidores enfrentam um novo percurso com especiais novas e diferentes dos dois primeiros dias. A rota do Desafio de Monchique tem 266 km, sendo 133 por volta, e sete especiais cronometradas. O quarto dia repete o mesmo percurso deste terceiro dia.

Seleção Júnior – A Seleção Júnior sofreu uma baixa importante hoje. O carioca Nicolás Rodriguez teve problemas e se atrasou no percurso. Com isso acabou penalizado e não poderá largar no terceiro dia de competição. O capixaba bruno Crivilin segue sendo o melhor brasileiro na prova, com seu companheiro de equipe Gabriel Soares sendo o segundo brasileiro melhor colocado. Crivilin é o 54º colocado na Geral e o 20º na Categoria E1. Já Gabriel Soares ocupa a 26ª colocação na Categoria E2 e a 69ª colocação na classificação Geral.

Clubes – O Clube Brasil, representado pelos pilotos José Manuel Simas, Manuel Francisco Correia e Willian Almeida Junior melhorou a performance e subiu dez posições na classificação, indo da 123ª para a 113ª colocação.

Classificação após dois dias – 94º International Six Days Enduro
Categoria E1
1 – Josep Garcia
2 – Luke Styke
3 – Ryan Sipes
4 – Andrea Verona
5 – Lyndon Snodgrass
20 – Bruno Crivilin
40 – Vitor Garcia
41 – Maurício Fernandes

Categoria E2
1 – Taylor Robert
2 – Kailub Russel
3 – Davide Guarnieri
4 – Fraser Highlet
5 – Ben Kelley
26 – Gabriel Soares
36 – Gustavo Pellin

Categoria E3
1 – Daniel Sanders
2 – Daniel McCaney
3 – Steward Baylor
4 – Rudy Moroni
5 – Alex Snow
25 – Jesus Fernandes

Geral
1 – Daniel Sanders
2 – Josep Garcia
3 – Ryan Sipes
4 – Taylor Robert
5 – Kailub Russel
54 – Bruno Crivilin
69 – Gabriel Soares
91 – Gustavo Pellin
103 – Vitor Garcia
104 – Maurício Fernandes
108 – Jesus Fernandes

Mauricio Fernandes.
Foto: Divulgação

Continue arrastando para cima ☝☝☝ para conferir todos os patrocinadores do site Show Radical 👇⚡!

– Clicando no anuncio das empresas você é direcionado ao site da marca!