Bruno Crivilin conta sua participação no Red Bull Minas Riders

De origem Capixaba, mas mineiro por “adoção”, Bruno Crivilin mora em Belo Horizonte e representa o estado nas maiores competições de Enduro do país, nessa temporada o jovem mostrou para o que veio e está se destacando como um dos principais nomes do enduro nacional. E ao lado de outro grande piloto, Gustavo Pellin, Bruno encarou o desafio de competir a prova do Red Bull Minas Riders encerrada na última semana na capital Mineira. Em suas redes sociais, Crivilin publicou um relato sobre seus dias, emoções e aventuras no RBMR. Vale muito a pena ler!!!

“Agora que se passaram alguns dias do Red Bull Minas Riders, posso fazer uma análise de tudo que passei com mais tranquilidade. Foi uma das experiências mais incríveis da minha vida.

Mais uma vez decidi junto com minha equipe participar da prova e recebi todo o apoio quando fizemos a opção de correr na categoria GOLD. Combinei com o Gustavo Pellin que faríamos a prova juntos, um ajudando o outro quando preciso, já que são extremamente complicados alguns trechos da prova pra essa categoria.

E a decisão se mostrou a mais acertada, se não tivéssemos feito esse trato não teríamos conseguido completar a prova. Em várias ocasiões o Pellin me ajudou e em outras o ajudei. Por duas vezes achei que nossos planos haviam acabado. A primeira na região do Tapete Branco, quando minha moto caiu de uma ribanceira. Ainda bem que estava com uma KTM, pois a moto não teve nada, apenas um guidão empenado, e consegui continuar na prova.

A outra vez que achei que estaríamos complicados foi quando o Pellin machucou o ombro no terceiro dia. Conseguimos completar a etapa e ele teve que ir pro hospital. No último dia conseguimos completar, mesmo com ele sentindo muitas dores.

Cortamos o trecho mais difícil da prova, o Cash Back, sabendo que levaríamos uma penalização, mas que só assim conseguiríamos completar a prova.

E foi depois de passar pelo arco de chegada que veio a maior surpresa. O Martin, organizador do RBMR, disse que se não fizéssemos o trecho que havíamos cortado, o Cash Back, seríamos desclassificados, seria como se não tivéssemos completado a prova.

Não pensamos duas vezes, pegamos a estrada e voltamos ao local, andando por cerca de duas horas até chegar no trecho mais difícil do Minas Riders. Já estava escurecendo quando entramos na trilha. A parte mais difícil, o Cash Back, passamos quase às oito da noite, onde os outros pilotos da GOLD tiveram muita dificuldade pra passar de dia.

Mas, missão dada é missão cumprida. Conseguimos fazer todo o trecho, ainda que de noite. Isso serviu pra valorizar nossa conquista ainda mais.

Tenho que agradecer demais ao Pellin pela paciência e pela ajuda. E a todos que nos ajudaram e nos incentivaram, em especial ao Marlon Indio,Sekinha, Reinaldo, Janjão Santiago e Rhaldery Pereira, que não pensaram duas vezes na hora de encarar o desafio e foram a noite nos ajudar.

Agradecer demais a minha Equipe Orange BH KTM Racing, que não tem medido esforços pra realizar os meus sonhos, em especial ao Carlos Augusto Constantino e ao Felipe Nacif.

Valeu demais e que venham novos desafios!

Orange BH, Ktm Brasil, Borilli Racing – Pneus Off Road, Motul Brasil,‪#‎Thor‬ ‪#‎Dragon‬ ‪#‎Gaerne‬ ‪#‎Supersprox‬ ‪#‎Jdr‬ ‪#‎Zeta‬, MRPRO braces,Exceed Fanclub, Prefeitura de Aracruz